XD Classificados Facebook Twitter

Notícias

imagem

Mercado Modesto Mantiquira


Preço, qualidade e bom atendimento.

imagem

Projeto Vida Urgente

Ajuda e apoio para pessoas.

imagem

Hotel Fazenda Sonho Meu

Imagine um lugar onde pode andar
de pé no chão.

imagem

Texturacor Xerém

Um novo conceito.


Notícias

foto

Ernesto, Anderson E Ana Caroline: Alunos Da Unigranrio Que Desenvolveram App

Foto: Cléber Júnior / Extra

Alunos da Unigranrio de Duque de Caxias criam aplicativos e buscam parceria


Um aparelho que mede sinais vitais à distância, um robô que se move por comandos cerebrais, um óculos para alertar pessoas com deficiência visual sobre obstáculos à frente, uma casa inteligente que pode, por exemplo, ligar o ar-condicionado em dias quentes. Invenções que podem facilitar a vida de muita gente foram desenvolvidas e apresentadas por alunos e ex-alunos da Unigranrio, do campus Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, no 1º Unigranrio IoT Talks, evento sobre a internet das coisas (em inglês, Internet of Things, IoT).

A IoT é uma rede de objetos conectados e com a capacidade de coletar e transmitir dados. E foi isso que estes alunos fizeram. Os aplicativos foram desenvolvidos como o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) pelos alunos de Sistemas de Informação.

Os analistas de sistemas Ana Caroline Belmont Oliveira, de 22 anos, e Anderson Pereira de Carvalho, de 24, criaram o óculos rastreável com alertas anticolisão para pessoas com deficiência visual.

— Pelo fone de ouvido, ele emite um alerta sonoro quando o deficiente está se aproximando de um obstáculo — explica Ana, ressaltando que o aplicativo também consegue rastrear a pessoa que está usando o óculos.

Anderson afirma que a ideia foi desenvolver alguma utilidade para a sociedade:

— Nós queríamos fazer algo diferente, que agregasse valor a quem precisasse.

Foi com o mesmo intuito que o analista Ernesto Flores Barreira, de 36 anos, criou o CardiogrApp, que permite a medição de frequência cardíaca até dez metros do paciente.

— Em 2014, durante o surto de Ebola na África, pensei de medir os sinais vitais dos pacientes, minimizando a possibilidade de contágio e o trabalho de ter que vestir as roupas específicas — explica Ernesto.

Robô que atende cérebro e casa inteligente

Uma casa inteligente com sensores espalhados pelos cômodos que permitem que o usuário a monitore remotamente. Tudo através do sistema domótico — que aplica a robótica ao ambiente doméstico.

Desenvolvido pelos ex-alunos Alan Muller Ribeiro do Nascimento, Rafaela Vieira da Silva e Rodolfo José Maurício Gonçalves, o aplicativo vai além. Permite que o sistema ligue ar-condicionado ou alerte por email ou SMS a qualquer sinal de vazamento de gás.

— O aplicativo permite controlar diversos recursos pela casa ou o monitoramento à distância — explica Thiago Silva de Souza, orientador do projeto e professor dos cursos de Tecnologia da Informação na Unigranrio.

Thiago também é orientador do sistema que permite que um robô se mova obedecendo a comandos cerebrais, desenvolvidos pelos alunos Alex Sandro Martins Gouveia, Gláucio Luis de Souza Barros e Lucas de Souza Tavares.

— O aplicativo pode auxiliar pessoas que não têm braços — ressalta Thiago.

Está prevista para novembro a segunda edição do evento Unigranrio IoT Talks.

— A ideia é gerar oportunidade de parceria com empresas — planeja Daniel de Oliveira, coordenador dos cursos de TI da Unigranrio.

Fonte: Cintia Cruz / Extra Online

15 de Agosto de 2018

08:32:45

compartilhe

Contador: 000074

imagem

Personal Academy

Personal Academy.

imagem

Aurora Design & Comunicação

imagem

Atacadão Das Cestas Básicas Xerém

Atadadão das cestas Xerém.

imagem

Consultório Veterinário Pet Shop