XD Classificados Facebook Twitter

Notícias

imagem

Sítio São José

LONGE DA CONFUSÃO DA CIDADE.

imagem

Xerém Eletromóveis

A entrega.

imagem

Irã Rodrigues Forro Em Pvc

Deixe sua casa.

imagem

Natan Corte

(Rua da Policlínica).


Notícias

foto

Foto: Sylvia Freitas

Novo campus da UFRJ em Santa Cruz da Serra ganhará mais um curso em 2019

Professor Herbert Guedes, do curso de Imunologia, destaca a qualidade das pesquisas feitas no novo campus


O recém-inaugurado Campus Duque de Caxias/UFRJ Prof. Geraldo Cidade, em Santa Cruz da Serra, vai ganhar mais um curso em 2019. Com 700 alunos de graduação e pós-graduação, a unidade vai oferecer no próximo ano o programa de mestrado e doutorado em Nanobiossistemas, um dos temas mais modernos em ciência e tecnologia.

— Hoje, na região, há muitas empresas farmacêuticas e químicas. Os cursos terão essa pegada. O programa de pós-graduação em Nanobiossistemas, por exemplo, foi pensado estrategicamente nas indústrias de Caxias. O programa de mestrado e doutorado em Nanobiossistemas já começa no primeiro semestre de 2019 — explica o professor Herbert Guedes, do curso de Imunologia.

No terreno de 140 mil metros quadrados, concedido pela prefeitura por 25 anos e resultado de R$ 70 milhões de investimentos, já são oferecidas aulas na graduação de Nanotecnologia, Biotecnologia e Biofísica. Na pós-graduação, estão o mestrado profissional em Formação de Professores de Biologia e o mestrado e doutorado em Bioquímica e Biologia Molecular. Funcionam no novo campus também o Laboratório de Física, o Núcleo Multidisciplinar de Pesquisa em Computação (Numpex-Comp), o Laboratório Didático de Computação e o Laboratório de Extensão.

No campus Xerém, ainda estão o laboratório didático de Química, o laboratório didático de Biologia e o laboratório de Pesquisa Numpex Bio, que é o mais bem equipado da instituição com investimentos de R$ 12 milhões da UFRJ. Esses laboratórios que ainda estão no campus de Xerém serão instalados após a reforma de um dos prédios no campus Santa Cruz da Serra.

— O Reuni (programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais) funcionou, a maioria dos alunos é da Baixada. Desses, metade é de Duque de Caxias. Isso não tem preço — ressalta o educador.

Entre os 60 professores que formam o corpo docente do campus, cinco são pesquisadores do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Herbert é um deles:

— Temos um corpo muito qualificado. As pesquisas que são feitas no campus são de impacto mundial.

Duque de Caxias ganhou a primeira unidade da UFRJ em 2008, durante o primeiro mandato do prefeito Washington Reis, quando foi instalado um polo da universidade em Xerém que funcionava em contêineres.

Além de beneficiar os alunos num espaço maior e com mais estrutura, a comunidade local foi diretamente afetada. Há atividades de extensão na universidade que beneficiam moradores do entorno. Na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, dois mil alunos da rede pública de Caxias estiveram no campus. Foram discutidos temas de interesse para a comunidade, como vacinação, por exemplo.

— Queremos que nossa vinda para cá seja como o sol e que as coisas comecem a gravitar no entorno. Que a nossa presença impacte Santa Cruz da Serra e faça as coisas acontecerem nos arredores.

Morador de Paracambi, Gianni Ribeiro Silvério da Conceição, de 21 anos, alugou uma casa em Xerém para cursar a graduação de Nanotecnologia. Ele já está no 5º período e comemorou a inauguração do novo campus:

— Aqui a gente se sente dentro de uma universidade de verdade.

A UFRJ/Duque de Caxias deve ganhar mais dois cursos de graduação em breve: Engenharia Física e Ciências Farmacêuticas com ênfase em biofármacos. No momento, a proposta está em tramitação na reitoria.

Fonte: Prefeitura De Duque De Caxias

19 de Novembro de 2018

19:34:31

compartilhe

Contador: 000225

imagem

Moreira Tattoo

imagem

Xerem Digital

O seu guia de.

imagem

Info Solution

imagem

Personal Academy

Personal Academy.